encontro SED agricultura familiar

Diretor-presidente da Ceasa/SC, Gilmar Germano Jacobowski (esq), ao lado do secretário de Estado da Educação, Luiz Fernando Vampiro.

Os produtores rurais da agricultura familiar cadastrados nas três unidades da Ceasa/SC têm a oportunidade de fornecer hortifrutis para a alimentação escolar.

Esse foi um dos temas debatidos durante encontro promovido pela Secretaria de Estado da Educação (SED) na quarta-feira, 15 de dezembro. O evento, realizado em São José, teve por objetivo ressaltar a importância da Agricultura Familiar para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) em Santa Catarina.

Participaram do encontro 36 coordenadores regionais de educação, instituições governamentais e não-governamentais representativas da agricultura familiar, camponesa, indígena e quilombola. O evento teve transmissão ao vivo pelo YouTube e pode ser acessado neste link.

O diretor-presidente da Ceasa/SC, Gilmar Germano Jacobowski, participou representando a Secretaria de Estado da Agricultura, Pesca e Desenvolvimento Rural (SAR).

"Os produtores da agricultura familiar que comercializam na Ceasa/SC têm uma grande oportunidade de vender sua produção para as escolas públicas estaduais de Santa Catarina, especialmente orgânicos. Para isso, precisam se organizar e a Ceasa/SC se coloca como parceira nesse sentido", afirmou Jacobowski.

A Ceasa/SC conta com cerca de 450 famílias de produtores rurais da agricultura familiar cadastrados nas 3 unidades no Estado: São José, Blumenau e Tubarão.

Apesar de haver venda de produtos orgânicos, não há um setor específico para esses itens atualmente.

"A ideia é que esses agricultores profissionalizem a produção de orgânicos para que ganhem escala e possam ser fornecedores para a merenda de mais de 523 mil alunos no Estado de Santa Catarina"

Para o secretário de Estado da Educação, Luiz Fernando Vampiro, a estratégia do Estado em inserir os produtos da agricultura familiar na alimentação escolar é uma ação que visa promover a segurança alimentar e nutricional dos alunos e também dos agricultores.

“Esse evento é a primeira etapa do nosso planejamento para ampliar a aquisição de produtos da agricultura familiar e orgânicos. Queremos começar 2022 fazer mais investimentos necessários”.

Na primeira palestra do evento, a assessora da Gerência de Alimentação Escolar da SED, Iracy da Costa, apresentou um panorama dos investimentos e legislações pertinentes ao tema. A Lei nº 11947/2009 determina que 30% dos recursos federais repassados pelo PNAE sejam destinados à agricultura familiar.

Em 2019, Santa Catarina destinou 34% desses recursos pra a agricultura familiar e em 2020 foram 41%. “Nós entendemos que o agricultor não é apenas um fornecedor de alimentos, mas é parte da rede de educação de Santa Catarina. A responsabilidade vai além de produzir um alimento, pois ele é um agente que mantém uma das condições básicas para que a educação aconteça”, afirma Iracy.

A segunda palestra da tarde foi da nutricionista e coordenadora estadual do programa de gestão de mercadorias da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Telma Tatiana Köene, que abordou o tema: “A importância da Agricultura Familiar para o PNAE”.

Para discutir os desafios e a importância da produção orgânica, em seguida foram convidados profissionais de diferentes formações e instituições ligadas ao incentivo e apoio à agricultura familiar em nosso Estado.

Participaram da mesa-redonda o engenheiro agrônomo Paulo Arruda, Analista Técnico de Políticas Publicas de Extensão Rural e Pesca da Epagri, a nutricionista Csele Van Sand, representando o Conselho Estadual de Nutricionistas (CRN10), Gilmar Germano Jacobowski representando a Secretaria de Estado da Agricultura, o engenheiro agrônomo da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola (Cidasc), Alexandre Mees, Gestor do Departamento Estadual de Defesa Sanitária Vegetal, Edina Acorde, coordenadora de Segurança Alimentar e Nutricional do Estado de SC e Amilton Vogue, da Comissão da Produção Orgânica de Santa Catarina (CPORG-SC).

PNAE
O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) é a maior e mais antiga política pública na área de alimentação e nutrição do Brasil e um dos maiores programas de alimentação escolar do mundo. Ele oferece alimentação escolar e ações de educação alimentar e nutricional a estudantes de todas as etapas da educação básica pública.

Com informações de Ana Paula Flores, da Secretaria de Estado da Educação.

Informações para a imprensa:
Alícia Alão
Assessoria de Comunicação
(48) 3378-1725
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

JSN Boot template designed by JoomlaShine.com

Desenvolvimento: logo ciasc rodape | Gestão do Conteúdo: CEASA | Acesso restrito